Quarta-feira, 5 de Outubro de 2005

UMA VELHA PAIXÃO PELO “DL”

joao_1952.JPG

O velho e finado “Diário de Lisboa” foi um marco na imprensa portuguesa. Eclético, com inspiração democrática, vingava pela qualidade literária do seu jornalismo. E não era por acaso que grande número dos seus redactores eram jornalistas-escritores. No “Diário de Lisboa”, os leitores procuravam qualidade. E obtinham-na num grau que hoje não tem paralelo na indigência escrita em que mesmo o chamado “jornalismo de referência” se aproxima perigosamente, em termos de bem cultural e de comunicação, num nivelamento pela baixa do instantâneo, dos jornais de borla do mastiga-e-deita-fora que se impingem nos transportes colectivos e que poluem, em tapetes de lixo de papel impresso, os corredores do metropolitano.

O acaso permitiu que o “Diário de Lisboa” (a par do “República”, o outro jornal da casa) tivesse sido o jornal onde ganhei o gosto pela leitura e pela notícia, a iniciação no cheiro do papel de jornal e da tinta fresca vinda dos enconsos das tipografias (antes da modernidade técnica de hoje que torna o jornal num produto a aproximar-se do inodoro, incolor e insípido), a percepção decifradora do jogo de finta à censura. Depois, mais espigadote, continuei fiel ao “DL” e foi no “DL-Juvenil” que ganhei o gosto pela escrevinhadela, apoiado pela liderança paternal e exigente de Mário Castrim. E vivi o desaparecimento do “DL” como a perda lastimável de um património inimitável.

O “Diário de Lisboa” morreu há muitos anos. A nova geração leitora nem sequer lhe deve lembrar o nome. Mas não morreram todos os leitores que prolongam a memória da paixão pela sua leitura. Por exemplo, o leitor retratado na foto e que, com os seus sete anos e meio, se treinava a soletrar as notícias através desta leitura. E que, agora e blogando aqui, acha que este é o sítio certo para exarar testemunho de uma sua paixão.
publicado por João Tunes às 23:34
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De IO a 6 de Outubro de 2005 às 15:49
O DL tornou-se o meu jornal, assim que cheguei a Portugal, que saudades!! - e no propedeutico, lembro-me de termos convidado o Castrim para vir falar aos estudantes, foi mesmo interessante!
Obrigada por esta memória!! - abraço, IO.

Já agora, posso meter-me com o jovem crucificado que está na outra foto?, oh João, tu és mais bonito agora... ou, dentro daquela farda ficavas sempre enfiadinho?...


De Marco Oliveira a 6 de Outubro de 2005 às 12:07
Com a mesma idade, eu tinha a paixão pelo "Diário Popular". Sobretudo no verão, quando havia o concurso "Se é bom Observador..."


De th a 5 de Outubro de 2005 às 23:36
De pequenino...abraço, th


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. NO RIO DA TOLERÂNCIA

. LEMBRANDO MARIA LAMAS, MA...

. SOLDADO FUI, OFICIAL TAMB...

. UMA VELHA PAIXÃO PELO “DL...

. LIBERDADE PARA FERRER GAR...

. VIVA A REPÚBLICA !

. FINALMENTE, A HOMENAGEM (...

. COM OS PALANCAS NEGRAS

. POR CESÁRIO VERDE
(esq...

.arquivos

. Setembro 2007

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds