Terça-feira, 16 de Agosto de 2005

DO SUL – 4

Armona 052.JPG

Um Cais quer-se de chegada e de partida. Sobretudo quando é portão de uma Ilha. Porque a água é um limite que se quer romper. Quem se quer sujeitar a sentir as escamas a crescerem-lhe no pensamento? Uma dose forte de salmoura chega e até dá para as sobras nas mínguas do resto do ano.

Um Cais sabe bem e deseja-se de vontade forte. Para abrigar e depois conseguir sair-lhe dos braços a ameaçarem tornarem-se tenazes de fuga ao mundo. Estamos feitos se desconseguimos fugir ao feitiço da Ilha. É por isso que um Cais sabe sempre bem.

Imagem: Ilha da Armona, Ria Formosa, Agosto 2005
publicado por João Tunes às 10:07
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. NO RIO DA TOLERÂNCIA

. LEMBRANDO MARIA LAMAS, MA...

. SOLDADO FUI, OFICIAL TAMB...

. UMA VELHA PAIXÃO PELO “DL...

. LIBERDADE PARA FERRER GAR...

. VIVA A REPÚBLICA !

. FINALMENTE, A HOMENAGEM (...

. COM OS PALANCAS NEGRAS

. POR CESÁRIO VERDE
(esq...

.arquivos

. Setembro 2007

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds