Sexta-feira, 22 de Julho de 2005

CANTILENA PELA POESIA

terra2[1].jpg

Há vezes em que marx escreve direito por linhas tortas e acrescente-se que lenine também porque nunca nos vão obrigar a separar um do outro nem nas linhas nem no que fôr e isto vem a propósito de ter lido ontem o josé pacheco pereira no público apesar de ele ter sido pelos chineses quando não devia ser porque se fosse pró chinês hoje em dia até o era muito bem porque os camaradas dos têxteis deles agora até estão unidos aos trabalhadores do vale do ave mais a sua luta pela defesa dos postos de trabalho e são do pouco que resta do verdadeiro socialismo queira ou não o facho da madeira mas esse josé pacheco pereira como já disse foi pelos chineses na altura que eles estavam desconcentrados e desencontrados dos camaradas soviéticos e portanto na contra-revolução mas agora até nem sei se foi marx ou engels ou mesmo lenine que disse que era péssimo para a revolução ter-se razão fora do tempo e o certo é que agora que os chineses estão na linha justa é que o josé pacheco pereira lhes virou as costas e ganha a vida a caluniar a memória do camarada álvaro contando coisas que se calhar até aconteceram mas de que a burguesia se aproveita e isso para um verdadeiro revolucionário deve sempre ser tido em conta e que é o princípio de nunca se fazer o jogo do inimigo seja ele qual fôr e que são tantos que a gente nem sabe para onde se virar mas voltando a essa peça jornalística do josé pacheco pereira no artigo de ontem do público vá lá que temos de lhe reconhecer que esse facho teve um vaipe de lucidez dialéctica ao escarrapachar os méritos poéticos do nosso camarada jerónimo que editou aquele livro de poesias originais e editadas por aquele jornal que de público só tem o nome porque se eles fossem sinceros chamavam àquilo o público burguês mas apesar disso e só para ganharem uns dinheiros para engordarem o belmiro editaram o livro de poesia do camarada jerónimo e e que está a ter um enorme sucesso e que recolhe as poesias populares que ele escreveu entre os discursos do tempo da cintura industrial de lisboa e em que dia sim dia não havia uma manif e o camarada jerónimo discursava sempre mas pelos vistos nos dias não em que não havia manif e o camarada não discursava aproveitava para fazer boa poesia e demonstrando assim que não se fica atrás dos desenhos e dos romances mais os filmes do camarada precedente e de que ele está a continuar a obra e muito bem e tanto que já não se viam tantas lutas juntas desde os tempos da muralha de aço como o facho do josé pacheco pereira acaba de reconhecer que até gostou daquelas poesias que não tenho dúvida que vai ser o grande sucesso autodidacta do stand dos livros da próxima festa do avante a par dos desenhos do álvaro e dos romances do álvaro e dos dvds com os filmes do álvaro e mais as fotografias com o álvaro a empurrar a revolução porque agora já podemos dizer o que nos vai na alma sobre o álvaro sem nos mandarem calar por causa dessa coisa que era proibida lá do culto da personalidade quando o kruschov começou a trair a revolução soviética e a preparar o poleiro para o traidor do gorbachov e se agora podemos dizer bem do álvaro que está falecido como falecida está a união soviética também não vamos deixar o jerónimo atrás lá porque é metalúrgico e está vivo e cheio de energia para combater a direita e ainda arranja tempo para fazer boa poesia.
publicado por João Tunes às 00:20
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. NOVO POISO

. NO RIO DA TOLERÂNCIA

. LEMBRANDO MARIA LAMAS, MA...

. SOLDADO FUI, OFICIAL TAMB...

. UMA VELHA PAIXÃO PELO “DL...

. LIBERDADE PARA FERRER GAR...

. VIVA A REPÚBLICA !

. FINALMENTE, A HOMENAGEM (...

. COM OS PALANCAS NEGRAS

. POR CESÁRIO VERDE
(esq...

.arquivos

. Setembro 2007

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

blogs SAPO

.subscrever feeds